Venenos da vaidade: saiba identificar um cosmético tóxico

Substâncias podem provocar irritações de pele, alergias e até mesmo doenças mais graves, como o câncer

O mercado de cosméticos cresce 10% ao ano e os cremes rejuvenescedores são um dos produtos mais procurados, mas alguns deles podem conter ingredientes comprovadamente prejudiciais à saúde. De acordo com a farmacêutica Alexandra Lemos, consultora técnica da Galena, vários ativos, quando em contato com o corpo, tendem a provocar irritações de pele, alergias e até mesmo doenças mais graves, como o câncer, segundo estudos. Por isso, vale verificar o rótulo das embalagens para saber exatamente que fórmulas – e venenos – estão sendo aplicados no rosto.

Venenos da vaidade: saiba identificar um cosmético tóxico

Venenos da vaidade: saiba identificar um cosmético tóxico Foto: Getty Images

“As essências ou fragrâncias podem provocar irritações com frequência grande. O formaldeído presente nos esmaltes, por exemplo, pode causar reação alérgica. A quantidade que pode ser adicionada em cosméticos foi estabelecida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em 2012. O ácido Para-aminobenzoico, conhecido como PABA, também é bastante alergênico e pode estar presente no fator de proteção solar. Nos produtos industrializados há a descrição PABA-free. Já em produtos manipulados, pode-se optar pela composição sem a presença dele. E os conservantes classificados como parabenos estão sendo questionados quanto ao seu potencial cancerígeno. Estão presentes em maquiagens, nos xampus, desodorantes, cosméticos etc”, alerta Alexandra.

Para se precaver contra eles, a farmacêutica sugere que o consumidor busque fórmulas cosméticas manipuladas, personalizadas para a necessidade de cada pele, obtendo desta forma o cosmético ideal. Confira a seguir quais são as substâncias mais perigosos e previna-se.

Conservantes que liberam formol

Muitos cosméticos possuem conservantes que liberam formol na pele. Ele está presente em xampus, cremes para cabelo, desodorantes, cremes para pele, máscaras de cílios, maquiagens, enxaguantes bucais, removedores de cutículas e loções para unhas. Mas estudo realizado no Departamento de Dermatologia da Universidade de Debrecen, na Hungria, revela que essa substância pode contribuir para o aparecimento de câncer induzido pela radiação solar. Por isso, evite cremes que apresentem os seguintes ingredientes: quatérnium-15, diazolidinil hora, imidazolidinil ureia e DMDM hidantoína.

Uma alternativa é o Cosmoguard MF-CP, conservante isento de derivados de formaldeído, compostos etoxilados ou halogenados, apresentando uma composição com amplo aspecto de atuação contra bactérias, fungos e leveduras.

Óleo mineral e derivados do petróleo

Os óleos minerais estão presentes na maioria dos produtos cosméticos, devido à propriedade emoliente, que hidrata a pele. Entretanto, estudos recentes vêm associando esses componentes ao aumento da mortalidade por diversos tipos de câncer, como de pulmão, esôfago, estômago, linfoma e leucemia. Tudo por causa do 1,4-dioxano, segundo estudos publicados nos periódicos American Journal of Industrial Medicine, de Los Angeles (Estados Unidos), e Contact Dermatitis, de Nagoya, no Japão.

Para evitá-lo, procure no rótulo palavras como paraffin oil e mineral oil. E recorra a substitutos derivados de óleos vegetais, como o Efaderma, que é rico em ácidos graxos essenciais idênticos ao da pele, como ácidos linoleico (ômega 6), linolênico (ômega 3) e o araquidônico, que é excelente hidratante e restaurador do equilíbrio hídrico da pele, mantendo a sua integridade.

Parabenos

O formaldeído presente nos esmaltes pode causar reação alérgica

O formaldeído presente nos esmaltes pode causar reação alérgica Foto: Getty Images

Estudo realizado na Universidade de Reading, no Reino Unido, aponta que os parabenos apresentam propriedades estrogênicas, ou seja, comportam-se como o hormônio feminino estrógeno. Por isso, seu uso na região das axilas pode aumentar o risco de câncer de mama. Os parabenos são identificados nas formulações de cosméticos com diversas nomenclaturas: Parabens, Methylparaben (ou E-218), Ethylparaben, Propylparaben (ou E-216) e Butylparaben.

Estão presentes em maquiagens, desodorantes, hidratantes, esmaltes, óleos e loções infantis, produtos para o cabelo, perfumes, tinta para tatuagens, lubrificantes e cremes de barbear. Naticide é uma alternativa mais segura, pois não possui na fórmulas parabenos. É um conservante natural, derivado de vegetais obtidos pelo mesmo processo de obtenção de fragrâncias, e com propriedade antimicrobiana extraordinária.

Propilenoglicol

É utilizado como diluente de outras substâncias, mas pode provocar alergias e irritações. Pesquisa realizada com 45.138 pacientes da Universidade de Göttingen, na Alemanha, confirmou o potencial sensibilizante do ingrediente. Para saber se o cosmético contém este elemento na composição, verifique a palavra propylene glycol no rótulo da embalagem.

Para substituí-lo, uma boa alternativa é o Fucogel, um polissacarídeo excelente para dispersar e solubilizar substâncias, e que pode ser aplicado em emulsões, conferindo toque sedoso e textura cremosa, ou em géis, promovendo aspecto mais brilhante, junto com ativos para higiene e tratamento do corpo, como esfoliantes, renovadores celulares, xampus e géis de banho.

A ureia, usada em hidratantes, é proibida para mulheres grávidas, pois penetra profundamente na pele e tem capacidade de atravessar a placenta

A ureia, usada em hidratantes, é proibida para mulheres grávidas, pois penetra profundamente na pele e tem capacidade de atravessar a placenta Foto: Getty Images

Ureia

Um dos hidratantes mais utilizados em cosméticos é a ureia, tanto pela sua eficácia quanto pelo seu baixo preço. Mas vale lembrar que ela é proibida para mulheres grávidas, pois penetra profundamente na pele e tem capacidade de atravessar a placenta, podendo chegar ao feto e ocasionar graves consequências ao bebê. A Anvisa determina que, todas as vezes em que um produto tiver na sua composição ureia em dosagens maiores que 3%, deve conter no rótulo o seguinte alerta: ‘Não utilizar durante a gravidez”.

O órgão também proibiu a fabricação de cosméticos que contenham mais de 10% de ureia em sua composição. Seu substituto pode ser a Aveia Coloidal, ingrediente cosmético natural extremamente versátil, ativo essencial para aumentar as atividades hidratantes, anti-idade e calmante.

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *